Paraná se prepara para grande onda de frio no fim de semana; interior tem alerta laranja

22/05/2024 18H44

Os próximos dias serão de mudanças nas condições do tempo no Paraná. Na quinta-feira (23), uma frente fria avança pelo Sul do País. No Paraná, áreas de instabilidade são previstas entre a tarde e a noite, com pancadas de chuvas acompanhadas de descargas elétricas entre as regiões oeste, sudoeste, noroeste e centro-sul do estado.

Nestes setores, o risco fica elevado para ocorrência de temporais localizados. Nos demais setores do estado, o tempo permanece estável. Porém, durante a madrugada de sexta-feira, a instabilidade avança para as demais regiões paranaenses.

O Instituto Nacional de Meteroologia (Inmet) colocou o Oeste e Sudoeste do Paraná em alerta laranja, com possibilidade de chuva entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, ventos intensos (60-100 km/h), e queda de granizo.

Depois da chuva, uma massa de ar mais fria derruba, e muito, as temperaturas. Com isso a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná alerta para a circulação do vírus da gripe e outras doenças.

Ambientes mais fechados, menos circulação de ar, temperaturas baixas (como a primeira grande onda de frio do Paraná neste final de semana) e maior umidade do ar compõem um cenário propício para a proliferação do vírus da gripe e demais vírus respiratórios.

Casos de doenças como gripe, resfriado, sinusites, bronquites, bronquiolite, crises de asma e pneumonias são mais frequentes nessa época do ano. Para evitar o número de casos de infecções por síndromes respiratórias, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reforça que os cuidados básicos e a vacinação são fortes aliados na proteção da saúde.

Influenza (gripe), Sars-CoV-2 (Covid-19), Vírus Sincicial Respiratório (VSR) e rinovírus são os vírus que mais circulam atualmente no Paraná. Atitudes simples como lavar as mãos com água e sabão com frequência, não tocar os olhos após contato com superfícies utilizadas por várias pessoas (corrimões, maçanetas, telefone, etc) e evitar permanecer em ambientes sem ventilação e com aglomeração de pessoas auxiliam e são fundamentais na proteção contra os vírus.

A onda de frio mais forte deve ter maior duração e seguir com mínimas baixas até o fim do mês.

Deixei seu comentário:

Veja Mais